Localização História Estatística Política Cultura Variedade Vistas Personalidades Solidariedade Procurar Créditos Home

QUATA - DEPOIMENTOS - SYLMA

DEPOIM.JPG (2304 bytes)

"Em Quatá que eu aprendi sobre amizade"

por Sylma De Tomasi

primaVistaqt.jpg (19924 bytes)

... mas desde o pedacinho da estrada de onde se avista a Igreja Matriz...

(Primeira vista de Quatá, à 6 km da cidade, no horizonte,onde do meio para a direita observa-se a Igreja e a Caixa D'Água)

 Quatá sempre foi para mim sinônimo de alegria , aconchego, felicidade. Desde pequena aprendi com meu pai Dr. Annibal Gil de Oliveira a amar esta pequena cidade que teve uma importância fundamental em minha infância e adolescência.

Em Quatá eu aprendi as coisas mais importantes da minha vida , durante muito tempo em minha vida, existiam dois períodos no ano ,o período em que eu estava em Quatá e o período em que eu queria estar.

Filha de médicos e morando em apartamento em São Paulo, não seria muito estranho eu valorizar tudo o que Quatá me proporcionava, lá eu podia andar à cavalo, andar de bicicleta , tomar leite fresquinho tirado da vaca na hora ,comer frutas no pé , me deliciar com os bolos, as tortas e roscas da tia Geny, passear na casa de amigos , ser reconhecida e conhecer quase todo mundo, ir ao cinema com a turma , ir nas brincadeiras do Saci, nas quermesses da Igreja, no carnaval do Saci , nos jogos da quadra, nos bailes em Paraguaçu, nadar no cachoeira no Burrinho, e tantas coisas mais.

Foi em Quatá que eu aprendi sobre amizade. E que turma!!! Vera Caroni, Ana Lúcia , Marilise , as primas Cibele e Cássia, os garotos do Chackry, quantas noites dormimos no quarto das meninas na casa de minha avó falando dos namorados, dos paqueras , das fofocas, bordando fantasias, comendo bolinhos de chuva, pipoca, jogando buraco, bisca .Quantas serenatas fizeram em nossa janela.

Quantos amigos, quantas lembranças, nenhuma mágoa, nenhuma tristeza . Hoje minha vida tomou outro rumo, passo em Quatá sempre que posso para rever minha tia Geny e o tio Zé, mas desde o pedacinho da estrada de onde se avista a Igreja Matriz , desde o trevo de Quatá, sou tomada por uma emoção violenta, chego a chorar de alegria e saudades pois sinto que estou de volta para o meu aconchego, para o meu lugar ,pois Quatá ,sua história e sua gente sempre terão um lugar de honra em meu coração pois foi neste pedacinho do paraíso, que eu realmente aprendi a ser feliz.

Agradeço a todos os quataenses que direta ou indiretamente me proporcionaram lembranças tão fantásticas .

Sylma Rosane M. Gil de Oliveira De Tomasi
Avaré, 27 de Dezembro de 1998