Localização História Estatística Política Cultura Variedade Vistas Personalidades Solidariedade Procurar Créditos Home

Francisco Vieira Nogueira - Prefeito de Quatá - www.quata.com.br

Francisco Vieira Nogueira

 Conhecemos o sr. Francisco Vieira Nogueira, atual Prefeito, quando ainda mocinho iniciou-se na Farmácia de Raul Póvoa, em Campos Novos do Paranapanema. Nasceu nesta histórica cidade em 29 de junho de 1899, filho de José Vieira Júnior e de Dona Adelaide Nogueira Vieira. O pai, galho de uma velha e tradicional família , gozava de largo e merecido prestígio, pelos seus dotes de honestidade, caráter e coração magnânimo. No meio rústico do ambiente, agitado por contínuas e renhidas lutas políticas, a família Vieira, sobressaiu como jequitibá no seio da mata milenária.

Em 1916, em pleno ardor juvenil, quando o coração se agita em voejos doidos de sonhos, mudou-se para a cidade de Campos, no Estado do Rio de Janeiro. Não resistiu à atração poderosa da zona do Paranapanema e,

  "Salve, belo torrão abençoado, onde
a vida encontro, em liberdade quieta
de que carece esta minha alma escrava !
Salve Rio Novo, em que se esconde
a água cristalina, aonde o poeta
veio a sede estancar que o atormentava!..."

como o poeta, não tardou em regressar para Assis, ligado a esta cidade filha de Campos Novos, de vivos traços de indiscutível afeto.

Assis naquele tempo não passava de um lugarejo "sem vida e sem esperança", como uma povoação incipiente de humildes trabalhadores espalhados em ranchos na cabeceira do Ribeirão Jacu. Como Assis não oferecesse, naquela longínqua época, perspectiva de futuro, mudou-se para a capital do estado, estudando e aperfeiçoando-se em Farmácia e Química.

Quando rebentou a célebre revolução de 1924 , chefiada pelo Gal. Isidoro Dias Lopes, resolveu abandonar a capital do estado, fixando residência em Quatá. Foi indiscutivelmente um elemento de escol, uma das forças propulsoras de seu progresso. Escolhendo este retiro, onde se respiram sonoridades de intensas vibrações pelo esplendor da natureza, foi aqui que emergiu sua gigantesca personalidade.

Com o farmacêutico sr. Bartolomeu Brando, deram vida a uma farmácia, sendo hoje a mais antiga da praça. Os dois espíritos integralizaram-se numa harmonia perfeita de visões e atendimentos recíprocos, seja no campo profissional como e sobretudo no campo político. 
  Bartolomeu Brando(1) um esteta; Francisco Vieira Nogueira um contemplativo.

A acuidade de observação, a disciplina rigorosa de todas as faculdades, o encanto de seus atos, soube o sr. Brando irradiar de sua alma nobre, o esplendor de idéias sublimadas num caráter de aço. Fez parte da galeria dos poucos homens que trabalham com entusiasmo e dedicação para o progresso da cidade. Em 1945 retirou-se o sr. Brando para Assis, após ter prestado relevantes serviços à causa do Município.

Ficou, porém o sr. Francisco Vieira Nogueira na estacada da luta. A sua personalidade foi paulatinamente afirmando-se intensidade do seu profundo poder interpretativo.

Exerceu o cargo de Juiz de Paz durante vários anos. Em 1947 foi eleito vereador e presidente da Câmara Municipal e, em outubro de 1951 foi eleito prefeito, por unanimidade absoluta de votos. Não teve competidor.

Meticuloso até o exagero, é extremamente honesto e humanitário no exercício profissional. A sua vida sempre copiosa em abnegações e renúncias, amparando com senhorilidade carinho a sua alma vacilante dos pobres, não tem manchas. É transparente a sua honestidade de intenções. Esse feição singular de penetrar na dor humana, dissecando impertubavelmente a sua repulsa à mentira e à ficção, é a grande imortal qualidade de seu bondoso coração. Vive de alma para alma como um emissário do espírito vindo do céu. E homem que praticou sem nunca vacilar o monito:

QUOD TIBI VIS, ALTERI NE FACIAS.

significa: Não faças a outrem o que não queres que te façam

 

(1) Bartolomeu Nogueira Brando, nasceu em Óleo, neste estado, em 1898; Formou-se na Escola de Farmácia de Pindamonhangaba e mudou-se daquela cidade para Quatá em 1923, aqui residindo até 1945.



Texto retirado do Livro Álbum Histórico do Município de Quatá de 1953
de Bruno Giovannetti