Localização História Estatística Política Cultura Variedade Vistas Personalidades Solidariedade Procurar Créditos Home

Histórico da Família Cruz - www.quata.com.br


Histórico da Família Cruz

Tudo começou quando meu bisavô Antônio da Cruz trabalhava na construção da Estrada de Ferro. Com seu falecimento meu avô José da Cruz continuou a trabalhar na construção da estrada. Depois passou a plantar algodão em algumas fazendas da região e chegou a ter algumas plantações. Casou-se com minha avó Durcília Alves da Silva. Foi também proprietário de 3 açougues na cidade e entre os anos de 1951 a 1954 foi proprietário do bar Central ao lado de onde é o cinema. Tiveram 10 filhos em Quatá e em 1955 vieram para São Paulo tendo os dois últimos filhos: Egberto e Paulo Tadeu.

Meus avós José da Cruz (Vô Zeca) e Durcília Alves (Vó Dulce) hoje já não estão entre nós assim como os queridos e inesquecíveis Gibas (Tio Nenê), Elvira (Tia Zita) e Antônio Carlos (Tio Carlos) que nos deixaram tão precocemente.

 

Filhos

  1. Gibas (Tio Nenê) casou-se com Olga e tiveram quatro filhos:Olga, José Emílio, André e Alessandra. Têm cinco netos: Giovanna, Vanessa, Netinho, Andréa e Nicolas. Vivem em São Paulo.
  2. Gilberto (Tio Totó) casou-se com Margarida e tiveram seis filhos: Maria Carolina, Maria José, Maria Aparecida, José Antônio, Adelaide e João Henrique. Têm dez netos: Maurício, Carolina, Pedro, Rafael, Aline, Rita, Marcos, Marina, Mateus e João Vítor. Vivem em São Paulo.
  3. Gilda casada com José Benassi.Tiveram uma filha, Gisela. Têm dois netos Bruno e Vicenzo.Vivem em São Paulo.
  4. Maria José casou-se com Rubens e tiveram dois filhos: Cíntia e Rubens. Têm uma neta: Juliana. Vivem em São Paulo.
  5. José da Cruz Filho casou-se com Marilza. Tiveram três filhos: Gláucia, Marcelo e Glauco. Têm um neto: Marcelinho. Vivem em São Paulo.
  6. Elvira (Tia Zita) casou-se com Victor e tiveram duas filhas: Adriana e Maria Cristina. Têm uma neta: Giulia. Dri e Cris vivem em São Paulo.
  7. Shirley casou-se com Lauro e tiveram dois filhos: Guinter e Lauro. Vivem em São Bonifácio (S. C).
  8. Maria Estela casou com Antônio tiveram um filho: Antônio Augusto (Júnior). Vivem em São Paulo, Júnior nos EUA.
  9. Jarbas casou-se com Maria Aparecida.Tiveram duas filhas: Karina e Sabrina. Vivem em São Paulo.
  10. Antônio Carlos (Tio Carlos) casou-se com Ângela e tiveram dois filhos: Janaína e Marcos era pai também de Antônio Carlos e Sinoel.
  11. Egberto casou-se com Cleide e tiveram dois filhos: Fábio e Paula. Vivem em Americana.
  12. Paulo Tadeu casou-se com Marlene e tiveram duas filhas: Karin e Kátia. Vivem em Curitiba.

Foto de 1959

familia_Cruz_1959.jpg (72941 bytes)

1-GILDA , 2-ELVIRA,  3-SHIRLEY , 4- MARIA ESTELA , 5-ANTONIO CARLOS  , 6-JOSE DA CRUZ FILHO , 7-JARBAS , 8-GILBERTO , 9-EGBERTO , 10-JOSÉ DA CRUZ , 11- PAULO TADEU ,  12-MARIA JOSÉ , 13-GIBAS , 14-DURCILIA.

 


Foto de 1996

familia_Cruz_1996.jpg (64191 bytes)

FAMÍLA JOSÉ DA CRUZ

1-SHIRLEY , 2-GILBERTO ,  3-MARIA ESTELA , 4-DURCÍLIA (IN MEMORIAN) , 5- GIBAS (IN MEMORIAM) , 6-MARIA JOSÉ , 7-EGIBERTO , 8-GILDA , 9-JOSE DA CRUZ FILHO , 10-JARBAS , 11-PAULO , FALECIDOS - ELVIRA,  ANTONIO, CARLOS JOSÉ DA CRUZ.

 

Acho muito importante esse resgate de nossas origens para podermos saber como, onde e porque a família foi formada. Espero ter podido colaborar e mostrar ao povo de Quatá e os demais interessados no assunto como se formou a Família Cruz e como estão seus descendentes hoje em dia.

 

MENSAGEM

" Os universos se sobrepõem. Em primeiro lugar, a harmonia existe no universo familiar onde a simpatia recíproca depende da felicidade da cada um. Depois, a harmonia do universo das amizades e dos conhecidos depende da felicidade de cada um. Depois, ainda, a harmonia do universo da comunidade depende da felicidade de cada um. Aí, você descobre a importância de ser feliz para fortificar os laços de simpatia e de fraternidade humana.

Cada geração deve dar uma nova interpretação do verbo amar, do mesmo modo que uma mãe renova, sempre com mais audácia, o amor a cada filho que está por vir. É necessário, sobretudo, reinventar para nossa vida e nosso tempo o sentimento mais belo do verbo "amar", que pode significar partilha, caridade que provém de Deus, para que ele não seja ofendido e o homem não desespere do amor que lhe é a salvação.

 

Gláucia F. da Cruz ( glafac@ig.com.br )


top