Localização História Estatística Política Cultura Variedade Vistas Personalidades Solidariedade Procurar Créditos Home

Entrevista: Vereador e Presidente da Câmara Municipal de Quata em 2002




Entrevista ao Vereador e Presidente da Câmara Municipal de Quatá em 2002:

Sr. Nestor José Jeronymo

O site de Quatá

Sr. Nestor nasceu em 1o de Abril de 1943 em Quatá.

Viveu toda sua vida em Quatá e relata que teve uma infância muito feliz aproveitando toda a liberdade que uma cidade do interior oferece. De educação austera, foi sempre muito ligado a família e lembra-se com carinho dos pais. Mudou-se de residência apenas três vezes e sempre uma bem perto de outra. Estudou nos colégios de Quatá em uma época que os alunos respeitavam muito os professores.
Iniciou o curso superior em Pouso Alegre, sul de Minas, e completou em Tupã , na Faculdade de Direito , formando-se em Advocacia.

Depois, assumiu o Cartório de Registro de Imóveis de Quatá onde está até hoje.

Ingressou na política em 1982. Teve uma experiência como candidato a vice-prefeito com Wolney Dalla Pria, o Alemão, não tendo sucesso naquela eleição.

A partir de 1982, esteve sempre presente como vereador , exceto uma única vez que não tinha se licenciado do seu cargo no Cartório, quesito não necessário na época.

Comenta que foi sempre o vereador mais votado de seu partido e um dos mais votado em geral, mesmo sem nunca ter que bater de porta em porta e nem mesmo prometer nada a ninguém, a não ser trabalho e dedicação em prol da cidade.

Leva uma vida simples e confortável . Não usou a política para se enriquecer como fizeram outros. Seus bens, dois carros e uma casa, são compatíveis do fruto de seu trabalho de mais de 40 anos. Sente-se realizado por ter cumprido uma de suas missões: o estudo de seus filhos.

Presidente da Câmara por 3 vezes ,orgulha-se de seu trabalho e de suas ações. Tem ânimo e muita dedicação pelo que faz, comenta o Sr. Nestor. .

Neste dia, o site de Quatá entrevista o Nestorzinho , como é mais conhecido em nossa cidade, Esta entrevista tem um único objetivo que é levar aos quataenses informação do nosso representante oficial do legislativo. Após revisão do conteúdo do texto feito pelo entrevistado, consideramos as respostas fiéis ao pensamento do mesmo.

Salientamos que nosso site é apartidário e neutro. Esperamos cumprir nossa missão jornalística.

 Glaucio Conde

www.quata.com.br Como tem sido a participação do legislativo em prol da cidade ?

Sr. Nestor: Estamos empenhados 100%. Dos projetos vindo do executivo, 99% foi aprovado e apoiado pela Câmara e isto acontecerá sempre que for de interesse da comunidade. Estamos fazendo uma gestão séria, honesta e austera. Para o conhecimento geral já é o terceiro ano que revertemos verba de 200 mil reais por ano para o executivo simplesmente porque economizamos e estamos revertendo a mesma para aplicar na comunidade. Hoje a Câmara gasta apenas 1/3 do orçado. Isto é seriedade e um esforço muito grande.

www.quata.com.br No último censo , Censo 2000, foi observado que todas as cidades que circundam Quatá apresentaram crescimento populacional , na faixa de 0,5 a 2,% . Porque somente Quatá vem regredindo? (dado do Censo = -1,16%)

Sr. Nestor: Isto é fácil explicar . Quatá vem praticando a política de retrocesso há mais de 30 anos e os efeitos são vistos hoje.

Há 30 anos atrás perdemos a empresa Matarazzo para Rancharia e isto somente aconteceu por falta de vontade política. Antes a prefeitura fechava as portas para novas companhias. Os empresários chegavam em Quatá e eram desprezados. Depois disso foi a Clayton que perdemos para Paraguaçu Paulista e a história não acaba aí . E quantas outras companhias ?

Quatá é cercado por latifundiários que impediam também o crescimento da cidade. Com a chegada do monocultura da cana-de-açúcar, se existia pequenos agricultores que plantavam café, arroz, algodão ,milho, etc., hoje não têm mais . Todos arrendaram as terras para a cana-de-açúcar e vieram para cidade.

Por conseqüências as empresas beneficiadoras de arroz e café fecharam e assim foram fechando as empresas em cascata.

Hoje temos poucos na zona rural. As linhas de ônibus ( jardineiras) deixaram de existir. Os filhos dos sitiantes e pequenos agricultores depois de completar o segundo grau somente tinham uma opção, ir embora de Quatá a procura de estudo e emprego.

As coisas tendem a piorar . Com a mecanização da colheita da cana-de-açúcar o número de desempregados devem aumentar. Historicamente onde existe a monocultura da cana-de-açúcar sempre existirá pobreza. Estamos agora fazendo um trabalho de investigação para sabermos se os empresários dos derivados da cana estão cumprindo a lei , pois existe uma lei onde as empresas produtoras de açúcar e seus derivados deveriam investir 4% do bruto arrecadado no social - PAS . Estamos querendo saber se isto está sendo cumprido.


Nestor na biblioteca da Câmara formada por ele.

 

 

Quatá vem aplicando a

política de retrocesso

há mais de 30 anos.

 

Precisamos mudar !

 

www.quata.com.br Você acha que as coisas mudaram, ou seja, o executivo está preparado para recepcionar novos empresários?

Sr. Nestor: Admito que não. Recentemente perdemos a Servibem por motivos pessoais, ou seja foi colocado o interesse pessoal à frente do interesse coletivo.

Este jogo de interesse fechou as portas para a nova empresa porque este cidadão achou que poderia ele mesmo fornecer a alimentação para os funcionários da Santa Lina.

Isto é imperdoável. Hoje a Servibem instalada em Paraguaçu Pta., emprega trabalhadores de Paraguaçu para fornecer comida para Quatá. É revoltante.

Mais recentemente ainda perdemos uma companhia de embalagens plásticas e uma metalúrgica. Precisamos melhorar e muito nisto.

www.quata.com.br O que se precisa fazer então para melhorar a política em Quatá, pois há mais de 50 anos se escuta que Quatá é uma cidade maravilhosa contudo a política que estraga tudo ?

Sr. Nestor: O que precisamos é unir as forças dos melhores de Quatá. Temos que colocar de lado as vaidades, o revanchismo, e fazer um esforço para formar um time para lutar por Quatá e não no interesse. Já dei prova daqueles que somente pensam em si.

www.quata.com.br Você quer dizer que trabalharia junto com um adversário político em prol de Quatá ?

Sr. Nestor: É lógico ! Aqui mesmo entre nós temos adversários. Em todas as áreas de Quatá, podemos encontrar pessoas capacitadíssimas que deveriam se juntar neste objetivo. Simplesmente temos que respeitar o pensamento de cada pessoa e econtrar um ponto em comum em benefício para a cidade. Se isto não acontecer as coisas não irão evoluir. As vaidades tem que ser colocadas de lado.

www.quata.com.br Então você acha que com uma hegemonia as coisas iriam melhorar ?

Sr. Nestor: Tenho certeza. Hoje não temos representatividade estadual e nem federal. Os nascidos em Quatá , Álvaro e Osmar Dias se dedicam mais ao Paraná. Quem nos ajuda um pouco é o Paulo Lima de Presidente Prudente. O Francisco Weffort, ministro da cultura e filhos de Quatá também tem suas limitações na pasta da cultura. Temos também o deputado Campos Machado que nos ajuda muito.

Quatá unido com os nossos municípios vizinhos teríamos condições de eleger um Deputado Federal e Estadual para a região. Aí as coisas iriam mudar , teríamos mais força no Governo do Estado e Federal. Nós temos que nos unir.

www.quata.com.br Baseado ainda no Censo 2000 , com a diminuição da população, seria certo afirmar que habitação não deveria ser uma prioridade para Quatá, mesmo porque , crescimento não sustentado é perigoso ?

Sr. Nestor: Corretíssimo. Penso exatamente assim, contudo o duro é fazer os outros compreenderem. Construir casas populares em Quatá corre o risco de transformar em favelização. O governo muito esperto tem financiado apenas as casas para as cidades. As pessoas apoiados pelo especuladores imobiliários acabam aprovando sua renda para aquisição de um imóvel e depois de algum tempo ele não consegue mais pagar as prestações. Aí vem a inadimplência, a miséria, e as negociações ilícitas do imóvel que ele estava ou seja, ele vai acabar vendendo o imóvel.

Para a prefeitura fica a missão de ampliar seus gastos que não estavam previstos e nem tem de onde tirar.

Temos que urbanizar, asfaltar, e dar condições para o cidadão. Recentemente foi asfaltado a Vila Por do Sol. Aqui em Quatá ninguém paga este asfalto. E não acaba aí, temos que pensar na saúde, o desemprego, etc.

Enfim, não temos um morador se quer morando na rua. No momento não acho viável mais a ampliação de moradias em Quatá. Não adianta crescer com miséria.

www.quata.com.br Há 20 anos atrás Quatá tinha por volta de 14 a 15 mil habitantes. Hoje Quatá está com 11 mil e pouco. Proporcionalmente os trabalhadores da prefeitura são em igual número.

Sr. Nestor: Não, muito mais. Além da prefeitura estar oferecendo mais serviços que não tinham antes, tem também a função social. Quem vamos mandar embora ? Onde esta pessoa irá trabalhar ? Esta são heranças que não são fáceis de resolver, contudo vale dizer que a prefeitura cumpre a legislação da responsabilidade fiscal.

Outra ponto importante da falta de dinheiro que o cidadão tem que saber é que muita coisa que se fez no passado estourou tudo agora. Vou dar dois exemplos.

Quando a prefeitura arrendou o hospital do Dr. Moacir Nicácio, as gestões passadas ficaram anos sem pagar o arrendamento. Hoje fomos acionados e existe uma dívida de mais de 300 mil reais que vamos pagar com os precatórios e esta dívida será paga em 10 anos. Está em lei.

Outro caso foi a dos aposentados da Prefeitura. As gestões anteriores não recolhiam o fundo de garantia. Resultado. Somos obrigados a pagar tudo agora. Foi feito um acordo e esta dívida também foi parcelada e está sendo paga. A responsabilidade fiscal deveria ter sido instalada há 20 anos atrás, assim hoje estaríamos em situação diferente. Então, antes de reclamar, temos que ter consciência do que está acontecendo.

www.quata.com.br Quem conhecia Quatá e hoje vem visitá-la tem um frustração a primeira vista. A cidade está toda esburacada, os jardins todos abandonados. O que está acontecendo ?

Com todos os problemas acima relacionados, se temos que optar entre recapiar o asfalto e dar um remédio e alimentação para os pobres, com certeza vamos para o social. Se há 20 anos atrás se pintava sarjeta das ruas é porque não tinha esta parte do social. É só lembrar.

www.quata.com.br Mas você não acha que o bem estar da população em ter uma cidade bonita , praças bem cuidadas, banheiros públicos limpos também faz parte do social ?

Sr. Nestor: O que eu disse é que, se na condição que eu tiver que escolher entre fazer o asfalto e ou ajudar a área social , a segunda opção será a escolhida.

Agora ,o asfalto não foi esquecido não. Tanto não foi que fizemos algo inédito. Tínhamos uma verba de 135 mil para construir o prédio da Câmara Municipal, visto que a prefeitura necessita hoje de mais espaço para desenvolver seu trabalho. Para este ano , abrimos mão desses 135 mil e revertemos esta verba para a prefeitura para arrumar o asfalto de Quatá. Mais 150 mil reais estão sendo destinados à pavimentação da Vila Laurinda Maia, carinhosamente chamado de Vila do Pica Pau Amarelo e sem esquecer o que já dissemos da Vila Por do Sol que foi toda asfaltada. O asfalto que está ruim não é asfalto propriamente dito. Fizeram uma lama asfáltica.

www.quata.com.br Quando vimos o Rodoanel em Quatá, a pista de aproximadamente 2,2 km que passa pela fazenda dos Pereiras, achamos a idéia ótima, pois evitaria da passagem de caminhões e ônibus, que sabidamente são os principais veículos que destroem o asfalto. Contudo não existe a proibição nem a sinalização. Você não acha que falta uma ação neste assunto e que ajudaria na conservação de nosso piso ?

Sr. Nestor: Na verdade o que destrói mesmo o asfalto são os treminhões carregados com a cana-de-açúcar.

www.quata.com.br Há pouco tempo atrás a cidade teve a água cortada por falta de pagamento. Escolas, rodoviária , praças, etc. ficaram sem água. O que realmente está acontecendo ?

Sr. Nestor: Agradeço por esta pergunta. Vergonha é o que aconteceu quando o município transferiu para a Sabesp o serviço de fornecimento de água e esgoto. Acredite, tínhamos uma fonte de arrecadação e foi transferido para a Sabesp e isto era inevitável, contudo no contrato foi "esquecido", é isto aí , entre aspas, inexplicavelmente de se colocar uma cláusula onde a Sabesp NÃO DEVERIA cobrar da Prefeitura e de seus órgãos este serviço. Este contrato deverá ser renovado daqui a 3 – 4 anos e aí nós vamos conversar novamente.

www.quata.com.br E sobre a educação, o que se tem a falar ?

Sr. Nestor: O que ocorreu em Quatá foi a municipalização da educação . Exceção do Colégio Chiquinho as escolas foram municipalizadas e hoje o município atende plenamente com merendas, professores, etc. Temos orgulho de dizer que hoje temos em Quatá professor substituto efetivo, e isto é inédito, foi feito pensando em nossos filhos quataenses.

www.quata.com.br Vejo a escola muito pouco participativa na sociedade. Há 30 anos atrás haviam campanhas ecológicas, desfiles em 7 de setembro, fanfarra, coral, mutirão para recuperar uma praça , plantio e arborização da cidade, hortas por exemplo , campanhas para arrecadar alimentos, agasalhos na época do frio, tudo isto feito pelos alunos. Não parece que existe uma falta de civilidade ?

Sr. Nestor: Parece que sim. Foi preciso uma nova lei para os alunos cantarem o hino nacional nas escolas. Isto ainda vai começar a vigorar. O novo modelo de educação fez com que o aluno não respeitasse mais o professor , pois de toda forma ele vai passar. Tem aluno que ameaça o professor e até dá um soco na cara do mesmo e mesmo assim não vai nem expulso.

Por sua vez o professor tem um salário ridículo e não existe mais motivação para estas ações espontâneas.

www.quta.com.br Vemos a cada dia a perda da tradição em Quatá. As datas tradicionais não são mais comemoradas. Não existe mais quermesses, não existe eventos de entretenimento como os festivais de música, a banda fantástica que tínhamos acabou, a biblioteca acabou. Você não acha que falta vontade política na área da cultura ?

Sr. Nestor: Quermesse quem tem que fazer é o Padre!

Já na parte artística admito que a Banda Jorginho é uma grande falha do executivo que precisa ser retomada.

Temos no Centro Social um trabalho onde é ensinado bordado, pintura e também a cozinhar. Convidamos o site para visitar o local.

www.quata.com.br No início deste ano o site promoveu um evento de pintura com o tema "Pinte Quatá". O custo foi zero. Fizemos parceria com o Saci, a escola Fazendo Arte e comerciantes . O intuito foi incentivar a arte e a venda dos quadros foram revertidos para APAE. Com mais de 350 visitantes em um só dia, mostrou que Quatá sente falta da parte cultural e entretenimento. Porque não fazer por exemplo um festival de música raízes caipira ?

Sr. Nestor: A área que estamos atuando é na de esporte. O Branco , com nosso apoio, está formando novas equipes de futebol e a meninada já foi até campeã em um torneio recentemente participado. É uma atividade que está dando muito certo. Precisamos melhorar nessas outras áreas.

No passado construímos um arena para rodeio com o objetivo de arrecadar fundos para o Lar , onde ajudei à fundar. Seria mais um evento para a cidade com um fundo social. Fui investigado por um promotor sem qualquer sentido. Apresentei minha demissão da instituição. O Lar que já teve 150 internos e foi modelo para o estado hoje resta poucos internos.

É desestimulante.

www.quata.com.br Na saúde sabe-se que a Santa Casa ainda está sendo equipada e ainda não tem credenciamento para funcionar. Em outras cidades se deu prioridade para agentes de saúde que seguem planos de prevenção e educação como para os idosos e crianças. Qual tem sido o plano para Quatá ?

Sr. Nestor: A Santa Casa era uma necessidade e ficou um tempo parada no seu investimento. Vamos continuar investindo. Aderimos também ao PAS – Plano de Assistência a Social. Implantamos 03 centros de saúde, sendo um no Novo Lar, outro no Centro de Saúde e outro atrás do Colégio Chiquinho. Temos 08 agentes de saúde para visitação externa e mais ainda 09 profissionais - 3 médicos, 3 enfermeiras e 3 auxiliares de enfermagem , além dos zootecnistas e agropecuários para atendimento na zona rural através da Casa da Lavoura que foi municipalizada.

www.quata.com.br O sobre o prefeito cassado . O caso já foi encerrado ?

Sr. Nestor: Sim !

O que continua do caso é sobre a notificação e do julgamento das contas de 98. Acredite, o Correio não conseguiu notificá-lo judicialmente. Vale lembrar que ele mora no mesmo prédio do Correio. Notificamos em João Ramalho onde ele tem um posto de gasolina e restaurante, fizemos anúncio nos jornais e agora estamos o apoiados na Lei.

www.quata.com.br Você vai se candidatar a prefeito nas próximas eleições ?

Sr. Nestor: Não!

Quero sim participar do governo e oferecer meu serviço que muito me orgulho. Precisamos nos empenhar para encontrar um prefeito de consenso , que represente nosso povo e que nós todos, de todos os partidos, possamos trabalhar juntos para o bem de Quatá, respeitando o ponto de vista de cada um. Não podemos dar o luxo de ter 5 candidatos como na última eleição. Precisamos dos excelentes valores que temos em todos os partidos , numa única força.

www.quata.com.br O que você espera da Política em Quatá ?

Sr. Nestor: Espero que os novos políticos abandonem as promessas e trabalhem honestamente e mais, que haja uma união, menos revanchismo e menos vaidades.

www.quata.com.br Como você gostaria de ser lembrado no futuro, como pessoa e como político ?

Sr. Nestor: Como pessoa, gostaria que fosse lembrado como aquele menino que eu era quando criança, alegre , feliz, o Nestorzino, o Toi, que teve uma infância bonita, uma educação austera e justa. Como legado político um homem sem interesse pessoal, que sempre ofereceu o seu trabalho em prol de Quatá e espero daqueles que votem que abandonem o toma-lá-dá-cá e votem sempre consciente sem interesse pessoal e que o povo tem responsabilidade de aplicar bem o voto para o futuro de Quatá.

Quatá , 11 de Julho de 2002.