Localização História Estatística Política Cultura Variedade Vistas Personalidades Solidariedade Procurar Créditos Home



Orísia da Silva
Nasceu em 16 de Fevereiro de 1939
 filha de Sadoc José da Silva e Benedita Braga

 


por Prof. Adelmo Pires Barbossa
Texto de setembro de 2000

Orísia da Silva , esse era o nome dela, sim dessa garota quataense, que foi conhecida de todos, não só pela sua presença mas também e principalmente pela sua personalidade marcante, vontade de vencer, perseverante, esforçada e dona de princípios absolutos sem limites.

Com um ano de idade Orísia perdeu a mãe, sendo criada por seu pai, conhecido como Shandoca, porém seu nome certo era Sadoc, cuja prole era muito grande e Orísia era um de seus membros. Moravam numa chácara na "descida do Gilica" - ladeira da EEVP. Quanta alegria reinava naquela chácara com toda a garotada.

A Orísia se destacava. A mais peralta, a mais lépida, a mais espevitada, a mais esperta e a mais andeja. Orísia perambulava pela cidade toda, assustava a garotada, brigava, batia e nunca apanhava.

Orísia cantava, Orísia xingava, Orísia dançava.

Até a 4a. série  Orísia estudou em Quatá. Sempre demonstrando muito interesse;  já mais adulta e se fazendo conhecer por muita gente , ela prosseguiu seus estudos por vários lugares como São Paulo, Rancharia, Lins , encontrando sempre o apoio necessário dos amigos que a acolheram.

Formada professora, voltou para Quatá vindo morar na casa do seu Gilica e dona Conceição, onde consideravam como filha. Começou a trabalhar nas escolas rurais.

Orísia achava que ainda podia produzir mais , até que ingressou na faculdade de Ciências e Letras de Tupã onde concluiu o curso de Pedagogia e logo a seguir formou-se também em Educação Artística e Música, quando adquiru seu próprio piano.

 

 Abriu sua escolinha de piano, onde lecionou para muitos alunos, proporcionando belos recitais com seus pupilos.

No magistério Orísia também brilhou, conseguindo sua cadeira através de concurso público. Conseguiu também aprovação em concurso para Diretor de Escola, só não assumiu por caducidade do próprio concurso.

Tudo porém, não foi tão fácil assim. Sozinha que era, sofreu muitas adversidades, contudo, cada pancada que a vida lhe dava, suas forças redobravam a ânsia de viver e vencer.

Se na sua infância Orísia foi um furacão, que não deixava ninguém sossegado, inconsequente e irreverente, foi graças a esse temperamento que conseguiu conquistar um lugar bem destacada ao sol.

A líder nas peraltices transformou-se na líder das grandes causas, pois sempre esteve à frente de quase todas as manifestações escolares, cívicas, culturais, religiosas e sociais de nossa comunidade.

Nunca se deixou passar desapercebida. Conquistou 1 milhão de amigos por todos os lugares que passou.

Em  toda sua vida, Orísia  venceu sempre. Foi a verdadeira Pequena Notável, só perdeu a última luta , que foi contra a morte em trágico acidente de automóvel, que a levou ainda moça, porém ganhou o Paraíso que Deus lhe reservou como recompensa a uma filha pródiga que venceu com galhardia.

Seu nome será sempre lembrado, hoje e sempre, com a justa homengagem feita dando seu nome a uma instituição de Quatá


 

Agradecimentos ao amigo Meneghetti, funcionário da Secretaria do Colégio Chiquinho, que nos forneceu cópia da foto de Orísia.